• O futuro chegou! Os Virtual Influencers estão ganhando cada vez mais espaço no mercado e a tendência é que os investimentos nessa área continuem subindo.

    Mas você sabe o que são esses virtual influencers ou quais as vantagens de aderir a essa tecnologia?

    Neste post, explicaremos tudo o que você precisa saber sobre o tema.

    Confira! 

    Quem são os Virtual Influencers?

    Como o nome pode sugerir, os virtual influencers são personagens virtuais criados por meio de tecnologias de animação ou design gráfico, e são usados ​​para promover produtos ou marcas através das plataformas de mídia social.

    Em outras palavras, eles fazem exatamente o papel de influenciadores digitais, porém com personalidades artificiais e, portanto, criadas de maneira completamente virtual.

    Essas personalidades fictícias são usadas ​​para promover uma variedade de produtos ou marcas, desde roupas até produtos de beleza.

    Inclusive, muitos virtual influencers têm uma aparência tão humana que são difíceis de distinguir de pessoas reais.

    Isso se dá justamente pela necessidade das empresas de criarem uma imagem que as pessoas possam se identificar e criar um certo vínculo.

    Quais as vantagens de utilizar os virtual influencers?

    As figuras dos virtual influencers são uma inovação de diversos pontos de vista.

    Para além da tecnologia envolvida, esses personagens são criados baseados em experiências com o mercado de influenciadores digitais, com suas nuances e particularidades bem definidas.

    Isso significa que existe uma certa “perfeição” nessa criação, dado que, por serem programados, os virtual influencers conseguem adequar-se completamente aos propósitos e aos valores da marca que estão representando.

    Por isso, existem diversas vantagens na utilização dessa tecnologia no marketing das empresas. Abaixo, você confere algumas delas:

    1. Baixo custo

    O virtual influencers geralmente são mais baratos do que os influenciadores reais, pois não precisam ser pagos pelo seu tempo ou pelo uso de sua imagem.

    Indiretamente, isso contribui também para um ROI positivo, já que o investimento maior será na criação das personalidades, e não em sua manutenção.

    2. Consistência

    Os virtual influencers são capazes de transmitir uma mensagem consistente, pois são controlados pelas pessoas que os criam.

    Isso pode ser útil para promover uma mensagem específica ou para garantir que a mensagem da marca seja transmitida de maneira eficaz.

    Isso cai justamente no ponto da “perfeição” que mencionamos anteriormente. Por serem programados, esses influenciadores passam somente o que as marcas desejam, sem falhas na comunicação ou erros de alinhamento.

    Além disso, eles também são capazes de trabalhar a qualquer hora do dia ou da noite e não precisam se preocupar com coisas como fuso horário ou viagens.

    3. Geração de tráfego qualificado

    Para além das redes sociais, os virtual influencers também podem impactar positivamente em outros canais de comunicação da empresa.

    Um virtual influencer bem programado consegue aumentar o tráfego no site da marca, por exemplo, aumentando as chances de gerar leads qualificados e avançá-los nas etapas de compra.

    Virtual influencers de sucesso

    No Brasil e no mundo, existem alguns exemplos de sucesso envolvendo o uso de influenciadores virtuais. Confira:

    Lu (Magazine Luiza)

    A influenciadora virtual Lu é a imagem da rede varejista Magazine Luiza. Com mais de 6 milhões de seguidores no Instagram, ela é uma das influenciadoras mais populares do Brasil.

    O surgimento da Lu foi uma grande inovação da marca, que buscava uma nova forma de se posicionar na web. A estratégia deu muito certo e, hoje, ela é referência no mercado de virtual influencers.

    CB (Casas Bahia)

    Sendo um personagem refeito de uma versão da década de 60, o CB é um personagem adolescente que representa as Casas Bahia.

    A reformulação foi uma estratégia da marca para se reposicionar no mercado e humanizar seu relacionamento com o cliente, tratando de temas como sustentabilidade e tecnologia.

    Ainda que não tenha agradado tanto os fãs do mascote mais antigo, essa mudança foi um sucesso de engajamento e gera resultados até hoje.

    Lil Miquela

    Lil Miquela é uma virtual influencer com todas as características de uma verdadeira influenciadora “instagrammer”. 

    Com 19 anos e vivendo em Los Angeles, Lil Miquela surgiu num momento onde as atenções estavam voltadas para as causas “Black live matters”, na qual sempre se mostrou presente.

    Além disso, ela já fez sessões fotográficas para a V Magazine e Highsnobiety, Calvin Klein, Prada a convidou para ajudar a promover o seu desfile, e também filmou anúncios publicitários para a UGG.

    Enfim, o uso de virtual influencers por grandes empresas é uma prática com cada vez mais adeptos e com muitas vantagens, tanto para as marcas, quanto para o público.

    Caso possua interesse em investir nessa tecnologia, você pode contatar nosso time especializado em marketing de influência e tirar todas as suas dúvidas para a implementação da abordagem citada acima!

    E caso você seja um criador de conteúdo, pode também conectar-se com a nossa comunidade exclusiva de creators e fazer parte do nosso time.

  • Quando falamos em automação do marketing, é comum que as pessoas logo pensem em tarefas realizadas automaticamente, como um simples agendamento de publicação nas redes sociais.

    Contudo, a automação do marketing em sua plenitude vai muito além disso.

    Neste post, falaremos sobre a automação do marketing e o porquê dele seguir como uma das tendências do mercado para 2023.

    Confira!

    O que é Automação do Marketing?

    A automação de marketing é um conjunto de técnicas e ferramentas utilizadas por empresas para automatizar tarefas de marketing, como envio de e-mails, segmentação de clientes, geração de leads e análise de métricas.

    Geralmente, essa tecnologia é baseada em regras pré-determinadas, que são criadas pelos profissionais da área para dizer ao software o que fazer em determinadas situações.

    Por exemplo, uma regra pode dizer que, se um cliente fizer uma compra em um determinado site, ele deve receber um e-mail de agradecimento 24 horas depois.

    A automação de marketing é usada para ajudar as empresas a economizar tempo, maximizar o retorno sobre o investimento na área e aumentar a eficiência das campanhas de marketing.

    Ela também pode ajudar a personalizar as mensagens para cada cliente, o que aumenta a relevância e o impacto dessa comunicação, gerando uma experiência personalizada para cada lead.

    Sobre as ferramentas para a implementação dessa abordagem, algumas das mais comuns usadas incluem plataformas de e-mail marketing e análise de métricas e sistemas de geração de leads.

    Quais os benefícios da Automação do Marketing?

    Com o mercado exigindo cada vez mais agilidade, competitividade e resultados, a automação de tarefas surge como um grande benefício para as empresas em diversos quesitos.

    A automatização do marketing continua a ser uma das mais importantes ferramentas para um marketing eficiente. 

    Abaixo, listamos algumas vantagens da utilização de ferramentas de automação de marketing:

    1. Economia de tempo

    A automação do marketing permite que as empresas economizem tempo realizando tarefas repetitivas de maneira automática.

    Assim, os profissionais podem se concentrar em atividades mais valiosas, como análise de dados e planejamento de campanhas.

    2. Aumento da eficiência das campanhas

    Seguindo a linha de pensamento do item anterior, a automação também aumenta a eficiência das campanhas de marketing, pois permite que as marcas enviem mensagens personalizadas e relevantes para cada cliente de maneira rápida e precisa.

    3. Maximização do ROI

    A tecnologia permite que as empresas rastreiem e analisem métricas importantes, como taxa de abertura de e-mails, cliques e conversões, o que pode ajudar a identificar o que está funcionando bem e o que precisa ser ajustado nas campanhas de marketing.

    Consequentemente, isso acaba por aumentar o retorno sobre o investimento nessa área.

    4. Menor chance de falhas

    Uma automatização diminui drasticamente as chances de erros no processo de vendas.

    Por exemplo, uma pessoa pode esquecer de enviar um e-mail ou uma mensagem importante, mas avisos programados não deixam de ser disparados.

    Outra falha comum é a não percepção da evolução de um lead no funil, o que não ocorre com uma ferramenta de automação. 

    Com a programação certa, ela saberá exatamente quando um cliente passar de uma etapa para outra.

    Por que a Automação do Marketing é uma tendência em 2023?

    Com todas as vantagens mencionadas acima, você já deve ter presumido o porquê dessa tecnologia ser uma tendência para o futuro.

    No geral, as ferramentas de automação oferecem uma maior e mais personalizada interação com o cliente, com um baixo custo e alta eficiência.

    Ou seja, unir essas ferramentas com a coordenação de mentes humanas nos projetos é a fórmula perfeita para campanhas rápidas, criativas e eficientes.

    Enfim, o uso de ferramentas de automação do marketing é uma prática poderosa para aumentar a eficiência de campanhas e melhorar a comunicação com os consumidores.

    Para te auxiliar nessa área, você pode contatar nosso time especializado em marketing de influência e tirar todas as suas dúvidas para a implementação das abordagens citadas acima!

    E caso você seja um criador de conteúdo, pode também conectar-se com a nossa comunidade exclusiva de creators e fazer parte do nosso time.

  • O E-commerce no Brasil é um dos investimentos dentro das empresas que vem crescendo bastante nos últimos anos.

    Hoje em dia, é bastante difícil encontrar empresas que já estão no mercado ou surgindo sem e-commerces.

    De acordo com dados de um levantamento realizado pela SmartHint, os cinco primeiros meses de 2022 tiveram uma arrecadação 785% maior se comparado ao período pré-pandemia.

    Ou seja, é um mercado de possibilidades que, definitivamente, não podemos ignorar.

    Por isso, neste post, falaremos sobre o que é o e-commerce, como está o mercado de e-commerce no Brasil e quais são as suas tendências para 2023.

    Confira!

    O que é o e-commerce?

    De maneira resumida, o e-commerce é a prática de realizar negócios pela internet.

    Isso inclui a compra e venda de produtos ou serviços através de um site ou plataforma digital, bem como as atividades relacionadas, como processamento de pagamentos, gerenciamento de estoque e entrega de produtos.

    O e-commerce é uma forma cada vez mais popular de fazer compras, pois oferece comodidade, ampla seleção de produtos e preços competitivos.

    Além disso, os consumidores podem facilmente comparar produtos e preços de diferentes vendedores e lojas online antes de tomar uma decisão de compra.

    Como está o mercado de e-commerce no Brasil?

    O crescimento do e-commerce no Brasil tem sido impulsionado pelo aumento do acesso à internet, pela crescente confiança dos consumidores em fazer compras online e pelo aumento da oferta de produtos e serviços.

    Só para se ter uma ideia, em estudo realizado pela Retail X, do Reino Unido, a plataforma de e-commerce brasileiro é a que detém o maior crescimento da América Latina.

    Em 2022, este mercado arrecadou US$8,1 bilhões a mais do que em 2021 e as expectativas para o futuro é que esse aumento mantenha-se constante.

    No entanto, o e-commerce no Brasil ainda enfrenta alguns desafios, como o alto nível de inadimplência e a falta de infraestrutura de entrega e logística em algumas regiões do país.

    Quais as tendências do e-commerce no Brasil para 2023?

    Como sabemos, definir o que será tendência ou não no mercado é uma tarefa difícil, principalmente por causa de sua dinamicidade e de suas mudanças repentinas.

    Contudo, após a análise do panorama atual, podemos apontar algumas tendências que irão bombar em 2023. São elas:

    1. Voice Commerce

    Também conhecida como compra por voz, essa prática tem ganhado cada vez mais espaço no e-commerce, principalmente após o Google ajustar seu algoritmo para compreender melhor as buscas por voz.

    Todo e qualquer usuário de tecnologia ama processos de comunicação ágeis, e em processos de compra, isso não seria diferente. 

    Por isso, espere um aumento considerável nos usos de tecnologias como Amazon Echo e Google Home.

    Inclusive, gigantes da indústria, como as empresas Natura e Domino’s já desenvolveram meios para tornar seus processos de venda completamente realizáveis somente por mecanismos de voz.

    2. Omnichannel

    Omnichannel é uma estratégia de negócios que busca oferecer uma experiência de compra consistente e integrada aos consumidores, independentemente de onde eles estejam ou de qual canal estão usando para fazer suas compras.

    Isso significa que as empresas precisam ter uma presença digital, bem como em lojas físicas, e garantir que esses canais estejam interconectados e trabalhem em conjunto para atender às necessidades dos consumidores.

    Por exemplo, um consumidor pode pesquisar um produto online, adicioná-lo à sua lista de desejos e, em seguida, ir até uma loja física para comprá-lo.

    A empresa deve ser capaz de rastrear as atividades do consumidor e fornecer uma experiência personalizada, como mostrar a ele os produtos que ele adicionou à sua lista de desejos quando ele entra na loja.

    Além disso, a empresa deve ser capaz de processar pagamentos, gerenciar estoque e fazer entregas de maneira consistente, independentemente do canal usado pelo consumidor.

    3. Sustentabilidade

    Os consumidores estão cada vez mais conscientes da necessidade de proteger o meio ambiente e, por isso, estão procurando opções de compra mais sustentáveis.

    As empresas de e-commerce que abraçam a sustentabilidade e demonstram compromisso com a responsabilidade ambiental podem ter vantagem sobre as que não o fazem.

    Existem muitas maneiras pelas quais as empresas podem tornar suas operações mais sustentáveis.

    Alguns exemplos incluem a redução do uso de embalagens plásticas, o investimento em fontes de energia renováveis e a oferta de opções de entrega mais agradáveis ao meio ambiente.

    Além disso, elas podem promover produtos sustentáveis e trabalhar com fornecedores que compartilhem sua preocupação com o meio ambiente.

    4. Realidade aumentada

    A realidade aumentada é uma tecnologia que permite aos usuários visualizar informações adicionais ou elementos virtuais em sua visão do mundo real.

    Normalmente, isso é realizado através de um dispositivo móvel ou com o auxílio de óculos de realidade aumentada.

    Essa tecnologia tem sido cada vez mais usada no e-commerce para melhorar a experiência de compra dos consumidores.

    Por exemplo, algumas empresas de e-commerce permitem que os clientes visualizem como um produto ficaria em sua casa antes de comprá-lo, através de um smartphone. 

    Eles apontam a câmera para um local da casa e conseguem ver como o móvel ficaria ali.

    Enfim, o e-commerce no Brasil possui várias tendências para 2023 e, com a preparação certa, as empresas podem se dar muito bem neste mercado.

    Para te auxiliar nessa tarefa, você pode contatar nosso time especializado em marketing de influência e tirar todas as suas dúvidas para a implementação das abordagens citadas acima!

    E caso você seja um criador de conteúdo, pode também conectar-se com a nossa comunidade exclusiva de creators e fazer parte do nosso time.

  • A Inteligência Artificial, apesar de ser um conceito bastante conhecido e difundido, ainda é um tema que levanta muitas perguntas ao seu redor.

    E compreender o que ela é e como funciona é primordial para as empresas que almejam a modernização de suas marcas e negócios.

    Por isso, neste post, falaremos sobre o que é a inteligência artificial e como ela se apresenta na internet, além de mostrar alguns conceitos e tendências da tecnologia para o mercado de marketing de influência.

    Confira!

    Inteligência Artificial: o que é e como funciona?

    Também conhecida por sua sigla IA, a Inteligência Artificial pode ser compreendida como a capacidade de um sistema computacional de realizar tarefas que normalmente exigiria inteligência humana, como tomar decisões, reconhecer padrões e aprender.

    Podemos dividir a IA em três categorias:

    1. IA de nível básico: neste nível, o sistema é capaz de realizar tarefas específicas e limitadas, mas não possui capacidade de aprendizado ou tomada de decisão autônoma.
    2. IA de nível médio: aqui, o sistema consegue aprender e adaptar-se a novas tarefas, mas ainda é limitado em sua capacidade de realizar atividades que exigem conhecimento e habilidades específicas.
    3. IA de nível alto: neste nível, o sistema realiza tarefas complexas e adapta-se a novas situações de maneira autônoma, semelhante à inteligência humana.

    Para funcionar, a IA geralmente requer grandes quantidades de dados para treinamento e algoritmos especializados para processar esses dados e tomar decisões.

    Seu desenvolvimento é uma área em ascensão ultimamente, com rápido crescimento e com aplicações em diversos setores, incluindo saúde, transporte, finanças e, claro, o marketing digital.

    Inteligência Artificial: principais tipos

    Existem vários tipos de IA e a utilidade de cada um deles irá depender da tarefa em questão e do nível de complexidade desejado.

    Abaixo, listamos os principais tipos:

    1. Aprendizado de máquina (machine learning)

    O aprendizado de máquina é um tipo de inteligência artificial que permite que os sistemas aprendam por si mesmos.

    Ele se baseia em algoritmos que são capazes de processar grandes quantidades de dados e adaptar-se a novas informações sem a necessidade de uma programação específica.

    Existem vários tipos de aprendizado de máquina, incluindo aprendizado supervisionado, aprendizado não supervisionado e aprendizado por reforço.

    2. Aprendizado profundo (deep learning)

    O aprendizado profundo é um tipo de aprendizado de máquina que utiliza redes neurais de múltiplas camadas para processar grandes quantidades de dados e aprender padrões complexos.

    Ele é muito eficaz em tarefas que exigem reconhecimento de padrões, como reconhecimento de voz e imagem.

    3. Processamento de linguagem natural (PLN)

    O processamento de linguagem natural é um tipo de IA que permite que os sistemas entendam e respondam ao idioma humano de maneira natural.

    Ele é utilizado, por exemplo, em chatbots, assistentes virtuais e sistemas de tradução automática.

    O PLN é complexo, pois requer que o sistema compreenda o contexto e as sutilezas da linguagem humana, como gírias, ironia e ambiguidade.

    De que maneira essas inteligências artificiais estão inseridas no mercado de marketing de influência?

    A inteligência artificial tem sido cada vez mais utilizada no mercado de marketing de influência para automatizar tarefas, analisar dados e tomar decisões.

    A seguir, listamos algumas das tendências mais comuns no uso dessa tecnologia:

    1. IA no uso de chatbots e assistentes virtuais

    Os chatbots nada mais são do que programas de IA utilizados para atender aos clientes e responder a perguntas comuns.

    Já os assistentes virtuais são capazes de realizar tarefas mais complexas, como agendar compromissos ou fazer reservas.

    2. IA para análise de dados e tomada de decisões

    Uma IA é capaz de processar uma grande quantidade de informações em tempo real e fornecer insights valiosos para o marketing de influência.

    Por exemplo, os sistemas de aprendizado de máquina podem analisar os dados de uma campanha de marketing e identificar padrões usados para melhorar o desempenho.

    3. Personalização de conteúdo

    A inteligência artificial também consegue personalizar o conteúdo exibido a usuários, com base em seus interesses e comportamentos.

    Isso pode aumentar a eficácia das campanhas de marketing de influência, pois o conteúdo é mais relevante para o público-alvo.

    4. Influenciadores virtuais

    Nos dias de hoje, a IA está sendo utilizada na criação de influenciadores virtuais, que nada mais são do que personagens digitais com a capacidade de postar conteúdo e interagir com os seguidores de maneira autônoma.

    Alguns exemplos dessa abordagem são a Lu, avatar da gigante do varejo e e-commerce Magazine Luiza, e o CB, das Casas Bahia.

    Essa é uma boa maneira de atingir um público mais jovem e digitalmente nativo.

    5. Análise de sentimentos

    Por fim, a IA também pode ser utilizada para analisar os sentimentos dos usuários em relação a uma marca ou campanha de marketing de influência. 

    Isso ajuda os responsáveis pela estratégia a entender o que está funcionando bem e o que precisa ser ajustado.

    Enfim, a inteligência artificial é uma das melhores apostas para a modernização e o futuro das empresas, sobretudo na área do marketing.

    Para saber mais sobre a estratégia, você pode contatar nosso time especializado em marketing de influência e tirar todas as suas dúvidas para a implementação da abordagem citada acima!

    E caso você seja um criador de conteúdo, pode também conectar-se com a nossa comunidade exclusiva de creators e fazer parte do nosso time!

  • Como investir no metaverso é uma pergunta que está sendo feita por muitas pessoas e empresas desde o lançamento do ambiente virtual. 

    O assunto ganhou ainda mais destaque quando Mark Zuckerberg, diretor executivo do Facebook, anunciou uma alteração no nome do grupo da rede social para Meta. 

    Mas como as empresas varejistas estão lidando com essa nova tecnologia? É possível obter lucros nessa área?

    Neste artigo, explicaremos como as empresas do varejo podem investir nesse universo e o que elas podem esperar de retorno.

    Confira!

    O que é o metaverso?

    De uma maneira simplificada, o metaverso é um ambiente virtual que busca integrar as particularidades da tecnologia ao mundo real. 

    Em outras palavras, ele é um espaço imersivo construído com a ajuda de ferramentas como hologramas, realidade virtual e realidade aumentada.

    Para uma melhor visualização do conceito, imagine um cenário similar ao do filme Matrix, das diretoras Lana e Lilly Wachowski. 

    Contudo, no metaverso, a ideia é que tenhamos avatares virtuais que irão conversar, trabalhar e viver, de fato, neste universo virtual.

    Inclusive, é válido salientar também que para acessar este ambiente, faz-se necessário o uso de alguns recursos como os famosos óculos de realidade virtual.

    Mas como investir no metaverso sendo varejista?

    Antes de tudo, é preciso dizer que, para iniciar os investimentos nesta área, faz-se necessário todo um planejamento voltado ao metaverso. 

    Isso significa que devemos tratar o ambiente virtual como um novo canal e, por isso, realizar análises prévias, entender os processos e estudar os potenciais e as limitações da própria empresa ao inseri-la no ambiente virtual.

    Isso inclui, inclusive, um estudo para verificar o público-alvo que queremos alcançar dentro das plataformas de realidade virtual. 

    Um erro comum é achar que os consumidores virtuais serão os mesmos da vida real, o que não necessariamente será verdade.

    Após compreender a empresa e seu possível público-alvo, a estratégia a ser implementada passa pela ideia de posicionamento de marca. 

    Sabe a história do “quem não é visto, não é lembrado”? Aqui, ela se encaixa perfeitamente. O relacionamento com o consumidor é, talvez, o ponto mais importante. 

    O posicionamento certo com o público certo é a chave para a fidelização e, consequentemente, o crescimento da marca.

    Abaixo, listamos alguns exemplos de varejistas que aderiram ao metaverso e utilizaram estratégias que podem servir como insights para as da sua empresa. Vejamos:

    1. Forever 21

    No metaverso, as empresas podem criar um ambiente próprio para o crescimento da marca ou podem optar por aderir a espaços existentes, como foi o caso da Forever 21 com o Roblox.

    Com uma unidade da loja aberta no ambiente de jogos do Roblox, a Forever 21 usou a estratégia de oferecer produtos virtuais da marca dentro do ambiente digital. 

    Inclusive, um desses itens fez tanto sucesso que ganhou uma versão física no mundo real. É um ótimo exemplo de sucesso.

    2. Nike

    Já a marca esportiva Nike é uma das empresas que preferiu criar seu próprio ambiente no metaverso, chamado Nikeland. 

    Contudo, para além de simplesmente inaugurar uma unidade virtual e vender os produtos, a Nikeland permite que seus usuários pratiquem esportes e criem seus próprios minigames.

    Um diferencial que se encaixou perfeitamente na proposta da marca e, ao mesmo tempo, torna seu ambiente atrativo e, principalmente, interativo.

    3. Walmart

    A gigante Walmart apostou numa estratégia mais contida, porém eficiente. 

    No metaverso, a empresa possui uma loja na qual seus clientes conseguem frequentar, visualizar os itens disponíveis e realizar as compras, tudo de maneira virtual. 

    Aqui, o diferencial é que os produtos adquiridos chegam em suas casas na vida real.

    Enfim, com tantas estratégias e possibilidades que o metaverso oferece, cabe apenas ao investidor analisar os melhores cenários e decidir os caminhos para as implementações. 

    Se a sua empresa planeja investir no ramo, considere entrar em contato com o time de especialistas em Marketing de Influência da SamyRoad para que possamos emergir nas melhores estratégias para o seu negócio!

    Na Samy, ajudamos as marcas a crescerem. Combinamos pesquisa, tecnologia com estratégia, criatividade e performance, para criar soluções, mensagens e experiências que signifiquem muito além do que se vê. 

    Proporcionar o crescimento é o nosso valor partilhado. Relevante, simples, eficaz. Se você é um criador de conteúdo, entre para a nossa comunidade exclusiva e faça parte desse time.

  • Nos últimos anos, a ascensão da influência digital teve um profundo impacto sobre os jovens. 

    Com o advento das mídias sociais e a proliferação de dispositivos móveis, os jovens estão agora mais conectados do que nunca. 

    Esta conexão constante com o mundo digital levou a uma série de mudanças na maneira como os jovens se comunicam, interagem uns com os outros e veem o mundo.

    Embora o impacto da tecnologia digital sobre os jovens tenha sido amplamente positivo, há alguns pontos negativos a serem considerados também. 

    Por isso, é importante estar ligado aos impactos que a influência digital pode causar nos jovens, sejam positivos ou negativos

    Afinal, são eles quem estão mudando o mundo! 

    Neste artigo, vamos conversar sobre as mudanças no comportamento dos indivíduos e a importância que todas essas rápidas mudanças trouxeram nos novos formatos de se viver.

    Confira!

    A importância das redes sociais

    As redes sociais se mostram cada vez mais importantes na vida dos jovens, seja a nível de desenvolvimento pessoal e até mesmo profissional.

    Elas estão presentes em quase todos os aspectos da vida das novas gerações, desde o entretenimento até a educação, provando que plataformas como Tik Tok, YouTube, Instagram e Twitter são excelentes escolhas, quando bem utilizadas.

    Os jovens estão em melhor posição do que muitos adultos para aproveitar as oportunidades que isso traz. 

    Isso porque eles estão usando as tecnologias para se engajar e fazer a diferença no mundo atual.

    Além disso, as redes sociais têm um enorme impacto na forma como os jovens se relacionam uns com os outros, o que é muito importante para analisar como estão se comportando as gerações atuais, comparadas a outras.

    Todo esse contexto, mostra, também, a grande variedade de conteúdos que são disponibilizados, diariamente, em todo o mundo, por esses indivíduos.

    O acesso à informação, ferramentas e tendências se mostra disponível para todos os momentos, na palma da mão. E vem mostrando como é viver no mundo moderno.

    Imagem Ilustrativa

    O impacto da tecnologia na vida dos jovens

    A tecnologia está mudando o mundo em que vivemos e os jovens estão no centro dessa mudança. 

    Eles são os principais usuários das novas tecnologias que estão transformando a forma como nos comunicamos, nos relacionamos e aprendemos.

    Nem tudo é tão positivo assim

    A mídia digital tem tido uma série de impactos positivos sobre a juventude. Por exemplo, ela lhes proporciona acesso instantâneo a uma grande quantidade de informações e lhes permite se conectar com outras pessoas ao redor do mundo. 

    Entretanto, há também um lado negativo nessa constante conectividade. 

    Muitos especialistas acreditam que muito tempo de tela pode levar ao isolamento social, ansiedade e depressão.

    Com tanta coisa boa, há também um lado ruim. 

    Outros estudos mostraram que metade dos jovens e crianças estão estressados e apreensivos com as notícias. 

    Mais ainda, esses mesmos jovens ainda não têm idade suficiente para entender o contexto em que as notícias estão inseridas e isso faz com que se sintam desprotegidos.

    Impactos positivos vs Impactos negativos

    A influência digital é reflexo dos pais da geração Z

    Seja na busca por um emprego, pelo apoio para uma decisão ou até mesmo pelo estímulo a se engajarem em atividades voluntárias, as gerações mais jovens estão, cada vez mais, buscando influência digital. 

    E isso não é nenhuma surpresa. 

    Desde que seus próprios pais começaram a se conectar nas redes sociais, seja para interagir com amigos e conhecidos ou para manter contato com os filhos, os jovens já estavam vendo como seus pais tinham uma grande influência digital. 

    Agora, estamos vendo jovens que cresceram nessas redes começando a mostrar sua própria influência digital. E isso tem grande impacto!

    Os pais da Geração Z começaram a usar as redes sociais e, em especial, o Facebook, para se engajarem em causas, promover ações e compartilhar de suas opiniões e momentos da vida pessoal.

    Então, é normal assistirmos as gerações atuais indo pelo mesmo viés, de forma muito mais moderna, sobretudo quando se voltam para o lado profissional. 

    Basta notarmos, também, a quantidade de novas profissões que têm surgido, devido ao grande avanço tecnológico e comportamental das pessoas

    Com seus telefones voltados principalmente a aplicativos de mídia social e plataformas de streaming, sem dúvidas suas vidas já são influenciadas principalmente pelo que veem em suas telas. 

    Imagem ilustrativa

    O marketing de influência é a grande sacada do milênio

    O marketing de influência é considerado como uma das principais estratégias para impactar os millennials e a geração Z, as duas gerações mais presentes no digital. 

    Diante dessa leva de gerações já acostumadas com o mundo virtual, a relação dos consumidores com as marcas sofreu muitas alterações e continuará passando por diversas mudanças. 

    Atualmente, os influenciadores digitais são os que movem e agitam estas mudanças. E eles são altamente respeitados, devido a grande autoridade que ganharam no mercado.

    E é por isso que as marcas que desejam fazer parte da conversa querem estar próximas a eles.

    Estudos mostram que cerca de 75% das novas gerações, sobretudo a Geração Z consideram a marca como uma parte do influenciador digital que admiram. 

    Para as empresas, isso representa uma grande oportunidade de impactar esses consumidores.

    Afinal, isso mostra o grande poder de impacto na decisão de compra dos consumidores, que os influenciadores conseguem exercer. 

    Imagem Ilustrativa

    A influência digital transformou o mundo

    A essa altura, fica claro que a forma como consumimos informações também mudou drasticamente. 

    As redes sociais como o TikTok , o Instagram, o Facebook, o Tumblr, o Twitter e o YouTube permitem que milhões de pessoas em todo o mundo divulguem seu conteúdo digital a todo instante.

    Esses canais de comunicação são extremamente influentes e são utilizados ​para transmitir mensagens étnicas, culturais, religiosas e políticas.

    Ou seja, redes sociais são capazes de ditar comportamentos, tendências de consumo, opiniões e abrir espaço para novas ideias. 

    E é exatamente isso que está acontecendo agora: milhões de jovens estão publicando seu conteúdo digital em canais de grande audiência e, com isso, estão afetando o mundo real.

    De acordo com estudos, 64% dos jovens de 18 a 34 anos usaram influenciadores das mídias sociais como fonte para conhecer marcas ou produtos. 

    Mais ainda, 48% dos jovens haviam comprado algo sujeito a recomendações e postagens compartilhadas pelos criadores de conteúdo. 

    E apenas 10% disseram que nunca foram influenciados por alguém que fale de uma empresa ou mesmo de um produto específico.

    Imagem ilustrativa

    Enxergamos aqui, um caminho sem volta. Estamos vivendo uma nova era e ela é cibernética. 

    Se você é uma marca ou um influenciador, junte-se ao nosso time de especialistas em Marketing de Influência e não perca a oportunidade de estar inserido na melhor comunidade de creators do mundo.

  • O publipost é uma estratégia que ganha cada vez mais força no meio virtual. Anunciar produtos e marcas através dos modos tradicionais, como outdoor e rádio, ficou no passado. 

    O post patrocinado, ou os famosos “publiposts”, são mais uma das formas que as empresas, influenciadores, marcas e agências utilizam para alavancar alguma campanha, fazer o lançamento de um produto ou serviço.

    É uma técnica bastante utilizada dentro do Marketing de Influência e que consegue gerar bons resultados tanto para quem quer divulgar, como para quem fecha parcerias neste modelo. 

    Neste artigo, vamos conversar sobre posts patrocinados, seu conceito, formatos de divulgação e as principais vantagens.

    Confira!

    O que são posts patrocinados?

    O que consideramos “publi” hoje é muito mais sobre o mundo cibernético.

    Com toda essa popularização, certamente você já se viu impactado por alguma publicidade ao navegar em sites e redes sociais.

    No mundo digital, podemos entender posts patrocinados de formas diferentes. Ele pode ser veiculado como uma mídia paga, através de plataformas que veiculam esses anúncios, como o Facebook, TikTok, Youtube e Google.  

    Ou mesmo, um post patrocinado pode ser feito a partir de parcerias entre marcas e influenciadores que desejam lançar alguma campanha ou promover produtos ou serviços.

    Dessa forma, um publipost veiculado através de uma parceria entre influenciador e marca pode ser pago de variadas formas, seja em troca de serviços, permutas ou valores estipulados. 

    Ambas os formatos de post patrocinado costumam performar muito bem, e os seus resultados variam de acordo com o nível que a sua marca está inserida, o que ajuda a entender qual o momento certo em apostar determinado formato.

    Imagem ilustrativa Publipost

    Como é feito um publipost?

    Sem dúvidas, um publipost é pensado para aumentar o alcance e repercussão de uma marca, através da publicidade veiculada. 

    Para isso, é preciso saber escolher bem o influenciador ou empresa parceira que irá fazer esse trabalho.

    Neste cenário, se torna fundamental analisar qual é público-alvo da marca que irá utilizar da estratégia de um post patrocinado, qual a meta e objetivos que desejam alcançar, e se condiz com a persona que compra os seus produtos e serviços.

    Quando falamos sobre parcerias de publipost com influenciadores, é crucial entender se a missão, valores e posicionamentos estão alinhados com a sua marca.

    Afinal, esses são pilares que representam a sua empresa e sustentam a imagem e credibilidade dentro do mercado. 

    Veja também se a missão, posicionamento e valores estão alinhados com a sua empresa, principalmente quando falamos de influenciadores. Lembre-se que ele representa o seu negócio, e qualquer postura inadequada pode prejudicar a sua imagem e credibilidade.

    O que você precisa para construir um publipost

    Quais são as principais vantagens dos posts patrocinados?

    Já conseguimos entender que o publipost é mais uma mecanismo que funciona quando o assunto é lançar, promover, patrocinar, divulgar uma marca e seus produtos ou serviços. 

    E, também, que esse post patrocinado pode ser feito através de influenciadores, agências ou plataformas para mídia paga.

    Mas, afinal, quais são os benefícios que usufruir dessa estratégia de marketing podem gerar? Tanto para uma marca, como para um criador de conteúdo. 

    A seguir, selecionamos as principais, veja só:

    • Gerar maior alcance;
    • Captação de leads;
    • Aumento no engajamento;
    • Melhora o SEO de um site ou blog;
    • O público é segmentado;
    • Você consegue reter clientes;
    • Influência sobre poder de compra;
    • Diversos canais de comunicação;
    • Aumento da autoridade e relevância da marca;
    • Qualidade de tráfego;
    • Ações segmentadas;
    • Aumento do ROI;
    • Aumento da base de leads;
    • Diversificação nos formatos.
    As principais vantagens de um publipost

    Portanto, agora que você já sabe o que é um publipost e todos os seus benefícios, está na hora de avaliar a sua marca e quais as necessidades dela, diante de mais uma estratégia certeira para o seu negócio.

    Ainda mais, ao fazer parcerias com influenciadores para publiposts, conte conosco da Samy. Seja você empresa ou influenciador digital, participe da nossa comunidade de influencers e criadores de conteúdo. 

    A ShineBuzz é sua aliada e uma ferramenta interna, na hora de criar bons conteúdos e recrutar os melhores influenciadores digitais, para promover os seus conteúdos.